quinta-feira, 18 de novembro de 2010

QUANTIDADE DE ÁGUA NECESSÁRIA

1. PERÍODO DE PROJETO
A escolha do manancial está condicionada à sua capacidade ou não de atender às necessidades de uma comunidade, no que diz respeito ao consumo atual requerido, bem como a previsão do aumento do consumo da comunidade no futuro, em função do seu próprio crescimento. Todo e qualquer sistema é projetado para servir uma comunidade, por um certo espaço de tempo, denominado de período do projeto. Para que se faça o cálculo do consumo provável, é necessário conhecer:


População a ser servida;

Consumo "per capita", ou seja, a quantidade média diária gasta por cada um dos consumidores.

Variação horária e variação diária do consumo.

Nos projetos, costuma-se fazer uma estimativa da população, a qual se baseia em:

População atual;

Número de anos durante os quais vai servir o projeto (período de projeto);

Taxa de crescimento da população.

2. QUANTIDADE DE ÁGUA PARA FINS DIVERSOS

O homem não só precisa de água de qualidade satisfatória, mas também em quantidade suficiente para satisfazer suas necessidades de alimentação, higiene e lazer, entre outras. Hoje se considera a água do ponto de vista sanitário, de grande importância no controle e na prevenção de doenças. Normalmente a água é gasta das seguintes maneiras:


a) Água para fins domésticos

É a que serve à bebida, ao banho, à lavagem de roupa e de utensílios, à limpeza de casa e aguação do jardim, às abluções e a descarga da privada.


b) Água para fins comerciais

É a água gasta em restaurantes, bares, escritórios e demais estabelecimentos comerciais.


c) Água para fins industriais

É a água utilizada na transformação de matéria prima ou a água que entra na composição do produto beneficiado e também a água para irrigação.


d) Água para fins públicos

É a água utilizada nos edifícios públicos, nas fontes dos jardins públicos e para a limpeza pública.



e) Água para fins de recreação

É a água utilizada nas piscinas de recreio e de esportes.



f) Água para fins de segurança

É a água utilizada para combate a incêndios.



3. CONSUMO MÉDIO DE ÁGUA POR PESSOA/DIA


O consumo médio de água por pessoa por dia, conhecido por "consumo per capita" de uma comunidade é obtido, dividindo-se o total de seu consumo de água por dia pelo número de pessoas servidas. O consumo de água depende de vários fatores, sendo complicada a determinação do gasto mais provável por consumidor. No Brasil, costuma-se adotar quotas médias "per capita" diárias de 120 a 200 litros por pessoa.

Na zona urbana, a variação é motivada pelos hábitos de higiene da população, do clima, do tipo de instalação hidráulico-sanitária dos domicílios e, notadamente, pelo tamanho e desenvolvimento da cidade. Na zona rural, o consumo "per capita" é influenciado também pelo clima, pelos hábitos de higiene e pela distância da fonte ao local de consumo.


Segundo o Engo. Saturnino de Brito, de saudosa memória, o consumo mínimo de água/pessoa por dia para fins domésticos é de:

- Água para a bebida ......................... 02 litros

- Alimentos e cozinha ........................ 06 litros

- Lavagens de utensílios ....................09 litros

- Lavagens de roupas ........................15 litros

- Abluções diárias ............................. 05 litros

- Banho de chuveiro ..........................30 litros

- Aparelhos sanitários .......................10 litros

________________________________________

T O T A L ....................................... 77 litros


Deve-se adotar 80 litros d’água por pessoa/dia. No caso de bacia sanitária com caixa de descarga deve-se acrescentar mais 40 litros, ou seja, 120 litros (em média 2 descargas por dia).

Nos projetos de abastecimento público de água, o "per capita" adotado varia de acordo com a natureza da cidade e o tamanho da população. A maioria dos órgãos oficiais adotam 200 litros/habitante/dia para as grandes cidades, 150 litros/habitante/dia para médias e pequenas. A Fundação Nacional de Saúde, acha suficiente 100 litros/habitante/dia para vilas e pequenas comunidades. Em caso de abastecimento de pequenas comunidades, com carência de água e de recursos é admissível até 60 litros/habitante/dia.



4. TIPOS DE ABASTECIMENTOS


Basicamente existem dois tipos de solução para o abastecimento público de água:


Solução coletiva;

Solução individual.

a) Solução coletiva

Aplica-se normalmente nas áreas urbanas, e neste caso, o manancial, a adução, o tratamento, a reservação e a distribuição são coletivos e os custos são divididos entre os usuários do sistema.


b) Solução individual

É normalmente adotadas nas áreas rurais, de população esparsa ou dispersa. Neste caso, as soluções geralmente são com base domiciliar, assim como os respectivos custos. No caso das áreas rurais, a quantidade de água necessária pode ser acrescida de valores adicionais gasta com a criação de animais, não incluída na quota "per capita" humana. Os valores adicionais sugeridos para a criação de animais, seriam:


- Vacas leiteiras ....................................... 120 litros / cabeça.dia

- Vacas leiteiras (só para bebida)............ 50 litros / cabeça.dia

- Cavalos ou novilhos ............................. 60 litros / cabeça.dia

- Bois, burros ............................................ 35 litros / cabeça.dia

- Porcos ..................................................... 15 litros / cabeça.dia

- Carneiros, ovelhas................................. 10 litros / cabeça.dia

- Perus ......................................................... 0,3 litro / cabeça.dia

- Galinhas .................................................... 0,1 litro / cabeça.dia


Em áreas urbanas e periferias, com características rurais ou em áreas rurais de população mais concentrada, pode-se utilizar uma combinação das soluções para dotar a comunidade de um sistema de abastecimento de água, onde algumas partes, como o manancial ou o reservatório, são de caráter coletivo, porém com a distribuição de água de caráter individual. É o caso dos chafarizes, por exemplo.


Normalmente, uma grande cidade contém uma parte central de características urbanas densamente povoadas, uma zona suburbana com população mais espalhada e uma terceira zona, periférica, de características nitidamente rurais. Nesses casos, deve-se estudar a solução ou soluções mais adequadas para cada uma dessas zonas.



5. QUALIDADE DA ÁGUA

A qualidade da água é avaliada por meio de exames. Como é impraticável analisar toda a massa de água de um manancial, coletam-se amostras e através de suas análises, conclui-se qual a qualidade desta água. A análise da água e realizada através de exames os quais são classificados em:



Físicos;

Químicos;

Bacteriológicos.

  •  Cuidados na obtenção das amostras para exames (Figura 10)
a) Em água de rio:
Tirar a amostra abaixo da superfície, colocando o gargalo no sentido contrário ao da corrente;

b) Em água de poço raso:
 Deve-se mergulhar o frasco com a boca para baixo e não coletar na sua superfície, pode-se empregar uma vara com rolha e com cordão;

c) Torneira ou proveniente de uma bomba:
 Deixar a água escoar por algum tempo (um minuto), desprezando as primeiras águas.

  •  Amostras para exames físicos e químicos
A amostra de água para exame físico e químico deve ser colhida em 02 (dois) litros, em garrafas limpas e convenientemente arrolhadas. Uma vez obtidas, as amostras devem ser enviadas com a máxima brevidade ao laboratório.

  • Amostras para exame bacteriológico
As coletas de água para exame bacteriológico são realizadas em frascos, geralmente com 100cm3 de volume. O frasco deve vir limpo e esterilizado do laboratório e convenientemente tampado. Antes da coleta da amostra de água para análises bacteriológicas, deveremos nos informar se foi adicionado cloro na água, pois neste caso, o vidro além de esterilizado, deve conter em seu interior, 2cm3 de hiposulfeto de sódio para eliminação da influência do cloro.

  •  Cuidados na coleta de amostras para exames bacteriológicos.(Figura 13)
São os seguintes os cuidados indispensáveis para se coletar uma amostra confiável:

Em caso de torneira ou bomba, deixar correr as primeiras águas;
Flambar a torneira com chama de papel ou de álcool;
Não tocar com os dedos na parte da rolha que fica no interior do vidro;

Exame bacteriológico deve ser feito o mais rápido possível. As amostras devem ser conservadas à temperatura de 6oC a 10oC (geladeira) para evitar o crescimento da quantidade de micróbios. O tempo máximo permitido entre a coleta da amostra e o exame no laboratório é de 06 (seis) horas, isto para água pouco poluída.


Fig. 13 - Coleta de Água Para Exame

A - Esterilizando a torneira
B - Retirando a tampa do frasco
C - Pegando a amostra
D - Vedando o frasco
E - Pegando a amostra num rio



FONTE: http://www.dec.ufcg.edu.br/saneamento/A5.html

terça-feira, 16 de novembro de 2010

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Quais os benefícios da água?

Não espere a sede chegar!

Você sabia que a água é a molécula mais importante do corpo humano, presente em maior abundância no nosso organismo? De 55 a 75% por cento do peso corporal de um adulto é composto de água:

- Sangue - 83%
- Músculos - 73%
- Gordura - 25%
- Ossos - 22%

Seu conteúdo varia em função de muitos fatores:

• Quantidade de tecido adiposo: o conteúdo de água do tecido adiposo é inferior ao de qualquer outro tecido. Logo, aumentando a quantidade de tecido adiposo reduz-se a fração do peso total do corpo relativo à água.
Idade: a medida em que a pessoa envelhece, a porcentagem de peso corporal total representada pela água diminui gradualmente. Em crianças recém-nascidas, a água constitui cerca de 72% do peso corporal. Em um adulto esse valor cai para 60%.

Sexo: As mulheres em geral, têm uma porcentagem menor de água total no organismo devido a uma maior quantidade de tecido adiposo subcutâneo.

A água é o solvente de toda matéria viva, move-se livremente entre as células, tem importante participação nos processos de transporte de substâncias, auxilia a regulação do equilíbrio térmico (temperatura do corpo); auxilia a eliminação de toxinas pela urina, transporta nutrientes, regulariza o funcionamento intestinal, mantém a pele com aspecto saudável (hidratada), etc.

O que pode causar a falta de água no organismo?

A desidratação é uma deficiência de água no organismo. A desidratação ocorre quando a eliminação de água do corpo é maior que a sua ingestão. Normalmente, a deficiência de água faz com que a concentração de sódio no sangue aumente. O vômito, a diarréia, o uso de diuréticos, o calor excessivo, a febre e a redução da ingestão de água por qualquer razão, são fatores que podem acarretar a desidratação. Algumas doenças como o Diabetes também. devido à perda excessiva de água.

Quando a ingestão de água não consegue compensar a perda, a desidratação torna-se mais grave. A sudorese diminui e uma menor quantidade de urina é produzida. A água passa do grande reservatório intracelular para a corrente sangüínea. Quando a desidratação não melhora, todas as células do nosso organismo não funcionam adequadamente. As células cerebrais encontram-se entre as mais propensas à desidratação, de modo que um dos principais sinais de desidratação grave é a confusão mental. Ela é freqüentemente acompanhada por uma deficiência de eletrólitos. Se a perda de água e eletrólitos persistir, a pressão arterial pode cair a níveis perigosos, causando tontura ou a sensação de perda iminente da consciência.

Para saber se você está se hidratando corretamente, fique de olho no xixi: se ele estiver bem clarinho, é porque está tudo certo. Porém, se estiver escuro, seu organismo precisa de mais líquidos!



Como verificar se o corpo está desidratado?

Boca seca, lábios rachados, letargia, confusão mental e diminuição da urina são sintomas de desidratação que, além de diminuir as reservas de água do corpo humano, reduzem os níveis de importantes minerais, como cloreto de sódio, sais de potássio, etc. Todos eletrólitos ficam mais concentrados se não houver reposição hídrica. Pode ocorrer débito cardíaco, diminuição do fluxo sanguíneo para os tecidos e prejuízo na performance.


Quais são as formas de ingerir água?

A ingestão de água é muito variável entre as pessoas, devido aos hábitos individuais; e na mesma pessoa em dias diferentes, devido ao clima e à prática de atividades físicas, por exemplo.

Na realidade, a água pura é a melhor forma de manter o organismo hidratado. Porém, a água de coco, o leite, as frutas e sucos possuem água e ela ainda pode ser ingerida como parte dos alimentos, já que após a oxidação dos mesmos ocorre a liberação de água. Não inclua nesta conta, bebidas alcoólicas e bebidas com cafeína como refrigerantes, café, chá preto e chá verde. A cafeína atua como diuréticos, aumentando a perda de líquidos pela urina.

Consuma somente água filtrada, tanto para beber como para o preparo dos alimentos.

 É verdade que não devemos esperar pela sede para nos hidratarmos?

O corpo humano não consegue "estocar" a água que você consome. Ela é eliminada diariamente e em grandes quantidades pelo suor, urina, fezes e outras funções do corpo. Por isso, a água precisa ser reposta constantemente. Quando os níveis de água no organismo se reduzem, ele passa a trabalhar em menor intensidade para poupar líquidos e prevenir a desidratação.

Quando sentimos sede já estamos em processo de desidratação. Por isso, não podemos esperar a manifestação da sede para nos hidratarmos. A sede, em indivíduos normais e em condições normais, é uma das formas de controle da ingestão de água no organismo. A sede é estimulada quando a quantidade de água no meio extracelular diminui ou quando a água ou o sangue se tornam muito concentrados.

Quando ocorre uma ingestão insuficiente ou perda excessiva de água, o organismo responde reabsorvendo mais água. Vários mecanismos atuam em conjunto para manter o equilíbrio hídrico do organismo. Um dos mais importantes é o mecanismo da sede. Existem centros nervosos localizados no cérebro que são estimulados quando o corpo necessita de mais água, acarretando a sensação de sede, que aumenta à medida que a necessidade de água pelo corpo aumenta, levando o indivíduo a beber e a repor a água necessária.

Um outro mecanismo de controle da quantidade de água no organismo envolve a hipófise, localizada no cérebro. Quando o corpo possui pouca água, a hipófise secreta o hormônio antidiurético no sangue, que estimula os rins a reter o máximo possível de água.

Quando o corpo possui uma quantidade insuficiente de água, os rins a conservam, enquanto ela desloca-se automaticamente do grande reservatório intracelular para a corrente sangüínea para manter o volume sangüíneo e a pressão arterial até que a água possa ser reposta através do aumento da ingestão. Quando o corpo possui um excesso de água, a sede é inibida e a hipófise produz pouquíssimo hormônio antidiurético, permitindo que os rins excretem o excesso de água na urina.

Apesar dos rins diminuírem a perda de líquido durante os déficits de água, é necessário que ocorra a ingestão adequada de líquido para contrabalancear essas perdas.


Há uma recomendação de quantos copos por dia devem ser consumidos?

O corpo humano não possui reservas de água e por isso ela deve ser reposta a cada 24 horas para manter a saúde e as funções básicas do organismo. Para um adulto em condições normais, a recomendação é de 35ml/kg de peso corporal, ou 2 a 2,5 litros de água por dia.


O que deve fazer uma pessoa que não consegue beber uma quantidade razoável de água diariamente?

Se você quer ser saudável, crie o hábito de levar sempre uma garrafa com água na bolsa ou fazer pequenas pausas para garantir uma reposição adequada e assim, manter a saúde e funções básicas do organismo. Ao olhar para a sua garrafinha, você automaticamente irá lembrar que tem que tomar água.


Por que se hidratar antes da prática esportiva é fundamental?

Se houver a prática de atividade física, a necessidade de água aumenta para repor as perdas com a transpiração e com a respiração. Muito da água perdida vem do sangue, levando a uma diminuição do fluxo sanguíneo, podendo prejudicar a função cardiovascular. Se o exercício for intenso, a reposição de líquidos deve ser freqüente.

Os eletrólitos perdidos em maior quantidade são o sódio e o cloro. A desidratação promove perda de peso e diminuição da capacidade máxima de desempenho. Dependendo do tipo de exercício e ambiente, um indivíduo pode perder até 2,5 litros por hora.

Apesar da água ajudar a acabar com muitos problemas de desidratação, estudos comprovam que uma mistura apropriada de líquido com carboidratos e eletrólitos podem melhorar o desempenho do atleta. Por este motivo recomenda-se muitas vezes fazer uso das bebidas esportivas, que promovem a reposição de água e eletrólitos: o sódio retém por mais tempo a água no organismo e os eletrólitos adicionados ao carboidrato, possuem maior palatatividade.

De acordo com o " American College Of Sports Medicine" a reposição de líquidos para quem pratica exercícios deve ser feita da seguinte forma:

• 2 h antes do exercício: ingestão de 500 ml de líquidos

• A partir de 1 h de exercício: 600 - 1200 ml de líquidos por hora de exercício

• O carboidrato é essencial como repositor energético e no retardo da fadiga;

• Concentração ideal de carboidrato para hidratação: 4 - 8%

• Concentração de sal: 1 terço de colher de sopa de sal por litro de água;

• Hidratar a cada 15 - 20 minutos de exercício


Dicas para evitar retenção e inchaço.


FONTE: http://bbel.uol.com.br/dieta-e-corpo/post/dicas-para-retencao-e-inchaco.aspx